Todos os envios sempre grátis *

42 Produtos
Definir direcção ascendente
  1. «
  2. 1
  3. 2
  4. »
  1. «
  2. 1
  3. 2
  4. »

A depressão é um transtorno do humor, que normalmente produz um estado de decadência e alterações psicológicas e biológicas da pessoa de forma permanente.

Manifesta-se através de vários sintomas psicológicos (falta de interesse, tristeza, desmoralização, baixa auto-estima ...) e sintomas físicos (perda de apetite, perda de peso, fadiga, distúrbios do sono com períodos de insónia e sonolência, etc).

Depressão, que estratégias podem ajudar?

A depressão é uma doença que se encontra entre as três principais causas de incapacidade e gera custos individuais, familiares e sociais bastante altos. Na Europa, é uma das primeiras razões para a perda de produtividade, reforma antecipada e ausência laboral e estima-se que a doença e o seu peso crescerá mais cada ano.

Um de cada cinco pessoas adultas pode chegar a sofrer alguma doença psiquiátrica ao longo da sua vida e estima-se que cerca de dez milhões de pessoas sofrem de um transtorno mental, como depressão, ansiedade, esquizofrenia ou transtorno bipolar podendo representar entre 25 e 30 por cento das consultas de atenção primária.

Estes números escondem o drama sofrido por milhões de pessoas que padecem desta doença, cada dia mais generalizada, mas, que estratégia pode ajudar-nos a prevenir e combater a depressão?

Diagnóstico e tratamento para curar a depressão

A doença da depressão apresenta uma variedade de sintomas, incluindo: dificuldade em conciliar o sono, falta de motivação, ataques de pânico e vazio emocional.

A depressão pode estar causada por perturbações metabólicas ( "depressão endógena"), ou por influências externas ( "depressão exógena, neurótica ou reactiva"). A causa é um distúrbio metabólico nos neurotransmissores do cérebro por deficiência de serotonina e norepinefrina. Isto produz a excitação nervosa que provoca os sintomas típicos da depressão.

Mas, o que fazer para lutar contra a depressão? Além do tratamento psicológico e médico, que é sempre necessário, a pessoa afetada pode utililzar uma terapia de apoio e usar um outro remédio para a depressão: os suplementos naturais vitais.

Remédios naturais para a depressão: 5-HTP, Rhodiola, L-teanina e outros

Existem certos nutrientes, em forma de suplementos alimentares naturais, que têm efeitos antidepressivos significativos. Estes suplementos incluem 5-hidroxitriptofano (5-HTP), que estimula a síntese da serotonina no cérebro conseguindo que melhore o humor e que, igualmente, tenha um efeito calmante e ajuda a perder peso. Além disso, também contribui para melhorar a qualidade do sono, reduz a probabilidade de ataques de pânico e alivia os sintomas da fibromialgia.

Outro remédio para a depressão é a L-teanina que está contida no chá verde. A L-teanina é um aminoácido que atua para reduzir a ansiedade e o stress. Participa na formação do neurotransmissor inibitório ácido gama-aminobutírico (GABA) e também influi positivamente nos níveis de dopamina e serotonina. A L-teanina reduz o stress, a ansiedade e a pressão arterial.

Os ácidos gordos ómega-3 são um remédio eficaz contra a depressão. Estes ácidos gordos poliinsaturados são bons para o coração, o sistema cardiovascular, o cérebro e as articulações e também proporciona uma sensação de bem-estar através dos seus muitos efeitos positivos. São considerados um antidepressivo natural eficaz. Estes ácidos gordos são encontrados no óleo de Krill, que é utilizado para combater a fadiga, a falta de motivação e a depressão.

O aminoácido L-triptofano é convertido no corpo em 5-HTP, que, por sua vez, estimula a formação de serotonina. A serotonina provoca um estado de bom humor e proporciona o bem-estar psicológico e mental.

A L-tirosina também desempenha um papel importante na produção de dopamina, epinefrina e norepinefrina. A L-tirosina pode ajudar a aumentar o rendimento físico e mental.

Estudos realizados com Ginkgo Biloba demonstraram que pode reduzir a depressão na população idosa. Os antioxidantes que contêm podem reduzir os efeitos prejudiciais dos radicais livres associados com a idade e aprimorar os receptores de serotonina.

A Rhodiola rosea, também chamado de Rhodiola, estimula a produção dos neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, que contribuem decisivamente para fornecer um estado de energia e felicidade. As pessoas que tomam Rhodiola regularmente sentem-se mais sociáveis e ativas e podem lidar melhor com situações stressantes.

Estes nutrientes e suplementos atuam de forma natural, sem substâncias químicas, contra a depressão. Além disso, também estão disponíveis sem receita médica.

Os melhores suplementos para a depressão

Este é uma pequena lista com os melhores suplementos para a depressão. A incorporação destas substâncias à dieta pode ajudar a reduzir os sintomas deste transtorno e são totalmente naturais.

  1. L-Triptófano: Como comentámos anteriormente, o triptófano promove a síntese de serotonina.
  2. Vitaminas do grupo B: As vitaminas do grupo B são essenciais para a correta função do sistema nervoso e para a síntese de neurotransmissores.
  3. Magnésio:  É um regulador do sistema nervoso e evita certos transtornos como as insónias, a ansiedade, a hiperatividade, o stress e a depressão. É um dos melhores remédios para os ataques de pânico e para as fobias.
  4. Ácidos gordos Ómega-3 ricos em EPA e DHA procedentes do óleo de peixe. O óleo de peixe é a melhor fonte de ácidos gordos polinsaturados ómega-3 (em concreto, de EPA). O EPA demonstou que pode reduzir as taxas de depressão num 10%. 
  5. Vitamina D: A falta de vitamina D na dieta diária é mais comum do que pensas. Vários estudos demonstram que a falta de vitamina D aumenta o risco de sofrer depressão.

Tudo sobre a depressão

Depressão - Porque Se produz E O Que Podes Fazer?

Um episódio negativo como a perda de um ente querido, a perda de um emprego, sofrer uma doença médica grave, alterações hormonais ou sofrer stress durante muito tempo, podem ser os "gatilhos" para a depressão. Podem dar lugar a produzir mudanças no cérebro e prejudicar a nossa capacidade de adaptação a eventos internos ou externos, dando lugar a que apareçam sintomas depressivos...

  A Carregar...